Prefeitura vai construir cinco novas escolas para substituir unidades de madeira

A Prefeitura de Londrina vai construir, em 2024, cinco escolas municipais para substituir unidades que atualmente têm estrutura de madeira. Trata-se de uma grande ação do Executivo, em atendimento a uma reivindicação muito antiga da população, e que trará muito mais conforto, segurança e acessibilidade para toda a comunidade escolar. As escolas municipais que receberão novos prédios são: Hikoma Udihara (zona leste); Carlos Zewe Coimbra (zona leste); Mábio Gonçalves Palhano (zona sul); Nina Gardemann (zona oeste); e Francisco Pereira de Almeida Júnior (zona leste).

Escola Nina Gardemann antes das obras. Foto: Emerson Dias / NCom

Duas delas têm a estrutura totalmente de madeira (Nina Gardemann e Carlos Zewe Coimbra) e três têm cerca de 60% da edificação de madeira (Hikoma Udihara, Mábio Gonçalves Palhano e Francisco Pereira de Almeida Júnior). Com as novas construções, todas elas terão estrutura de alvenaria. O valor máximo total, compreendendo as licitações das cinco unidades, será de R$ 55 milhões, aproximadamente. Todas as licitações já estão abertas.

A secretária municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes, disse que esta inciativa representa um grande passo para a educação do Município de Londrina. “É uma das mais importantes ações de infraestrutura da Secretaria de Educação. Os alunos, professores, diretores e todas as pessoas que atuam nestas escolas contarão com prédios melhores e mais acessíveis, podendo dispor de ambientes mais confortáveis”, ressaltou.

Hikoma Udihara – A unidade foi construída em 1975, ou seja, tem quase 50 anos de existência. Ela terá seu espaço ampliado em 853,17 m2 passando dos atuais 1.611,12 m2 para 2.464,29m². Após a construção, serão dois pavimentos com dez salas de aula; sala de recursos; sala de leitura; sala de contraturno, ambientes administrativos e ambientes de serviço. Atualmente, a unidade conta com oito salas de aula em madeira e atende 437 alunos. O valor máximo pago na licitação será de R$ 9.330.212,92. A previsão do início da obra é janeiro de 2024 e de término é janeiro de 2025.

Carlos Zewe – A Escola Carlos Zewe Coimbra é mais antiga ainda, construída em 1972. Hoje, ela tem cinco salas de aula e uma área de 1.725,29 m2. Após a construção, passará a ter 2.557,87m² (832,58 m² a mais) e mais cinco salas de aula, totalizando dez, além de duas salas de contraturno; sala de informática; biblioteca, ambientes administrativos e ambientes de serviço. A unidade possui 182 alunos matriculados. A previsão do início da obra é janeiro de 2024 e de término é janeiro de 2025. O valor máximo pago na licitação será de R$ 10.575.006,71.

Pátio da escola Mábio Palhano. Foto: Emerson Dias / NCom

Mábio Palhano – Construída em 1970, a unidade atende 668 alunos em 14 salas de aula e possui área de 2.645,34 m2. Com a construção do novo prédio, serão 3.881,30m² de área construída (1.235,96 m² mais), quatro salas de aula a mais, totalizando 18, além de sala de contraturno; sala de recursos; laboratório; ambientes administrativos e ambientes de serviço. A previsão do início da obra é janeiro de 2024 e de término é março de 2025. O valor máximo pago na licitação será de R$ 14.269.460,01.

Nina Gardemann – A unidade foi construída em 1980 e tem área de 1.536,30 m2. Com a construção, passará a ter 2.611,38m² (1.075,08 m2 a mais), e irá das atuais seis salas de aula para 12, além de duas salas de contraturno, sala de informática; sala de recursos, biblioteca, ambientes administrativos e ambientes de serviço. A unidade tem, no momento, 214 alunos. A previsão do início da obra é janeiro de 2024 e de término é janeiro de 2025. O valor máximo pago na licitação será de R$ 14.269.460,01.

Parte das salas da Escola Francisco Pereira Júnior ainda não recebeu piso novo. Foto: Emerson Dias / NCom

Francisco Pereira Júnior – Construída em 1989, hoje ela é composta por 16 salas de aula totalmente de madeira e tem área de 2.596,17 m2. Com a construção do novo espaço ela terá 2.999,88m² (403,71 m2 a mais), e contará com mais uma sala de aula, totalizando 17, além da sala de informática, sala de recursos, biblioteca, ambientes administrativos e ambientes de serviço. São 627 alunos atendidos na unidade. As obras serão executadas de janeiro de 2024 a janeiro de 2025. O valor máximo pago na licitação será de R$ 6.503.188,23.

Realocação dos alunos – Durante o tempo da construção, os alunos serão realocados em outros espaços, com exceção dos que estudam na Escola Municipal Francisco Pereira Júnior, os quais permanecerão na escola, pois a reforma na unidade será feita em etapas. Para as outras escolas, a SME vai locar outros espaços para as crianças estudarem neste período.

Outras melhorias na infraestrutura – A gestão do prefeito Marcelo Belinati registra diversas conquistas na Rede Municipal de Educação. De 2017 até agora, foram construídas 17 novas unidades escolares, entre Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), Centros de Educação Infantil (CEIs) filantrópicos e escolas municipais, e foram implantadas 96 novas salas de aula.

Fonte: Prefeitura de Londrina