A inovação sempre esteve na prancheta do planejamento urbano de Curitiba. E a evolução da tecnologia também faz parte dessa rotina na busca por processos mais sustentáveis e assertivos.

Essa foi a tônica da apresentação da Prefeitura de Curitiba no Autodesk University 2023, um dos maiores eventos de tecnologia do mundo, dirigido ao planejamento, design e execução construtiva. O evento ocorre em Las Vegas, nos Estados Unidos, até esta quarta-feira (15/11).

Curitiba está representada pela coordenação da Unidade Técnico Administrativa de Gerenciamento (Utag), área responsável pela gestão dos contratos multilaterais do município, porta de entrada para o uso da ferramenta BIM (Building Information Modeling) na administração municipal.

A Autodesk é a fornecedora da plataforma BIM para o município de Curitiba por meio da contratação do financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para o Projeto de Aumento da Velocidade e Capacidade da Linha Direta Inter 2/Interbairros II. Dentro do programa, o componente de tecnologia e inovação inclui a formação de um Laboratório BIM para a elaboração dos projetos do Novo Inter 2.

O LaBIM funciona dentro do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippuc), responsável pela disseminação da ferramenta na administração municipal. A convite da empresa e do BID, o coordenador geral da Utag, Marcio Teixeira, viajou a Las Vegas para apresentar os avanços conquistados com a aplicação da ferramenta na rotina do planejamento urbano da cidade.

A apresentação foi feita para a delegação brasileira, convidada pela Embaixada dos Estados Unidos, no Hotel Venetian. Teixeira detalhou as fases da evolução tecnológica do planejamento urbano, desde a modelagem em 3D, a plataforma GeoCuritiba, a elaboração dos projetos em nuvem e o acompanhamento da obra em tempo real.

O impacto imediato da adoção da metodologia BIM é a redução de retrabalho das equipes, correção de erros, com consequente otimização de recursos, qualidade de entrega e prazo de conclusão.

De acordo com estudos da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), se metade das empresas nacionais adotarem o modelo BIM até 2028, a economia na construção civil brasileira deve crescer 7%. A metodologia estima a redução de 9,7% nos custos totais da obra, sendo que o gasto com insumos tem queda de até 20%.

Na Prefeitura de Curitiba, parte dos projetos executivos, especialmente do Novo Inter 2, já foram contratados pela metodologia BIM. Neste link, é possível ver a modelagem do Lote 3.2, que prevê a requalificação de 8.200 metros de sistema viário, além de uma ponte sobre o Canal Belém, na divisa dos bairros Hauer e Boqueirão.

 “Muito mais do que uma animação, o conteúdo traz os dados das estruturas e permite edições e alterações que corrigem as interferências a cada atualização”, explica Marcio Teixeira.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

By