Os ritmos vibrantes dos terreiros inauguraram as festividades do Mês da Consciência Negra nesta quarta-feira (15/11) no Memorial de Curitiba. O local sediou o 2º Encontro de Curimbas, responsáveis pela música e pelos cânticos sagrados nos terreiros de Umbanda. A data, que também marca o Dia Nacional da Umbanda, foi comemorada com muito axé por membros de seis terreiros de Curitiba, que se reuniram para celebrar a paz e o amor.

“Hoje estamos inaugurando oficialmente a programação do Mês da Consciência Negra em Curitiba, no Dia Nacional da Umbanda, e continuaremos até o dia 20, com uma extensa programação para diferentes públicos”, explicou Marli Teixeira Leite, assessora de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura.

Arlete da Silva de Jesus (Mãe Arlete de Xangô), representante da Tenda de Umbanda Estrela Guia (TUEG), localizada na Cidade Industrial de Curitiba, enfatizou que a abertura do espaço proporciona a oportunidade de apresentar uma religião de matriz africana e reduzir o preconceito.

“Não só para a minha casa, mas para todos que têm fé e axé, este momento é muito importante, especialmente nestes tempos em que estamos lutando contra qualquer tipo de intolerância e perseguição religiosa”, disse ela. “É muito importante que a Prefeitura de Curitiba abra o espaço para as pessoas que têm fé, não importa qual seja ela, porque todo mundo é Deus, e Deus é de todo mundo”, concluiu Mãe Arlete.

O casal Ketrolen Felde e Renan Carias, acompanhados da filha Liz, de 6 meses, contaram que se conheceram no terreiro e fazem questão de levar a filha às atividades sempre que possível. Eles também destacaram a importância de cultivar, vestir o branco e discutir sobre a religião.

“Acho que quanto mais gente vestir o branco, mostrar a cara, levantar a bandeira da Umbanda, melhor será visto. Eu queria que todo mundo pudesse conhecer um pouco dessa nossa religião, que é maravilhosa e uniu nossa família. A gente não faz mal para ninguém, gostaria que as pessoas soubessem disso”, esclareceu Ketrolen.

“A umbanda é minha vida, eu não sei viver sem ela. Me deu minha família”, disse Renan, que frequenta o terreiro de umbanda desde os dez anos de idade. “Umbanda é amor, paz e caridade. Queremos mostrar isso para as pessoas e acabar com o preconceito”, concluiu ele.

Confira a programação do Mês da Consciência Negra em Curitiba

Quinta-feira (16/11)

Teatro Infantil – As três Marias na Cidade do Esquecimento

Sexta-feira (17/11)

Programação da Caravana Étnico Cultural

14h – Oficina Ekodidé: O ritual na cena

15h – Oficina Histórias do mar: Navegando Entre as Histórias do Brasil e África.

16h – Princesas do Ritmo (música)

18h – Os Encantados (música)

19h – “Odelair, uma peça teatral” (metateatro)

Sábado (18/11)

Caravana Étnico-cultural

14h – Abertura

14h10 – Housistência – Pele Ouro (dança)

15h – Imperatriz da Liberdade (samba)

15h50 – Meu Varal (poesia)

17h – Em Negrito Sessions – Rubia Divino convida Priscilla Pontes

18h – Homenagem – Orgulho da Regional

18h30 – Vozes do Sagrado

Domingo (19/11)

Apresentações Musicais

10h – Sarau dos Migrantes

11h – Janine Matias

12h – Daniel Montelles – Samba de Santa Barbara

12h40 – Baque Mulher e Bloco Afro Pretinhosidade

Local: Praça Tiradentes (junto às gameleiras)

10h30 – Louvação ao orixá Iroko.

11h30 – Cortejo até a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito – com Bloco Afro Pretinhosidade

Local: Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito

12h – Águas do Rosário

12h20 – Cortejo até o Memorial de Curitiba, com Ialorixás e grupos Baque Mulher e Bloco Afro Pretinhosidade

Segunda-feira (20/11) – DIA NACIONAL DA CONCIÊNCIA NEGRA

14h – As Três Marias na Cidade do Esquecimento (teatro para crianças)

15h – II Encontro de Erês (corais formados por crianças da rede municipal de ensino)

18h – Grupo Canjão (música)

* Eventos simultâneos à programação cultural:

– Feira de Afroempreendedores

– Mostra fotográfica Negras Mães

– Exposição Arte em Crochê

Fonte: Prefeitura de Curitiba

By