A Catedral Ortodoxa Ucraniana São Demétrio, no bairro Mercês, um dos símbolos das tradições ucranianas em Curitiba, é, desde a noite dessa terça-feira (19/12), um dos 82 locais da cidade contemplados com iluminação cênica, implementada pela Prefeitura de Curitiba. A igreja, construída em 1960 na Avenida Cândido Hartmann, ganhou o novo sistema de iluminação em tecnologia LED, que destaca e valoriza ainda mais a bela arquitetura em estilo bizantino do templo.

A iniciativa faz parte dos programas de Iluminação Cênica e de Destaque de Monumentos e Prédios Históricos e Rosto da Cidade da Prefeitura de Curitiba. Essa é a segunda igreja a receber a melhoria neste mês como parte das festividades do Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2023. No dia 12, foi acesa a nova iluminação no Santuário de Nossa Senhora do Guadalupe, no Centro

“Agora são 17 as igrejas e templos da cidade com iluminação cênica que, além de muita beleza, convidam as pessoas a refletirem sobre a luz como elemento de conexão com o mundo espiritual. Estamos iluminando cenicamente as igrejas, desde as da região central até as mais distantes”, disse o prefeito Rafael Greca.

Os serviços foram executados sob a coordenação do Departamento de Iluminação da Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop). A implantação do novo sistema foi executada antes do início da concessão público-privada (PPP) prestada pela Engie Soluções Cidades Inteligentes e Infraestrutura de Curitiba S.A.

Casa paroquial

Localizada na Avenida Cândido Hartmann, 1.310, próxima ao Parque Barigui, a catedral é a segunda sede da paróquia ucraniana ortodoxa de São Demétrio, fundada em fevereiro de 1933. Durante a construção da igreja, entre 1955 e 1960, as funções litúrgicas foram realizadas na casa paroquial.

A região onde se encontra a igreja já foi conhecida como Campo da Galícia, em referência à região da Ucrânia de onde vieram os primeiros imigrantes ucranianos. O templo ucraniano foi consagrado em 1962.

Cúpula octogonal

A nova iluminação é monocromática e utiliza a luz para realçar os detalhes da arquitetura icônica do templo. A construção tem nave com planta baixa em forma de cruz, cúpula octogonal dourada e cruz com três travessas, símbolo da igreja ortodoxa, além de três frontões triangulares onde essa simbologia encontra-se em relevo.

Os elementos arquitetônicos foram destacados na iluminação cênica da igreja, marcando o ritmo das janelas, a colunata da fachada, os vértices da cúpula e o símbolo constante nos frontões. O campanário também recebeu destaque, pois o sino tem grande relação com o rito religioso e também compõe a fachada principal voltada para a Avenida Cândido Hartmann.

Ao todo, foram utilizados 50 projetores em LED com potências que variam de 11W a 35W e temperaturas de 4000K e 5000K, uma luz mais neutra e fria, que dá melhor destaque para edificações com pintura mais clara.

De acordo com o arquiteto do Departamento de Iluminação Pública da Smop, Thales Sinhorini, um dos desafios na elaboração e execução do projeto foi adequar a cúpula, cujo formato com seis pontos exigiu muita atenção.

“Apesar de linda, a cúpula tem desenho que dificulta a luz chegar até a cruz de seis pontos. Outro ponto de atenção foi a própria cruz no alto da cúpula, porque é vazada e possui perfis metálicos muito esbeltos”, explicou Sinhorini.

Rodrigo Araújo Rodrigues, secretário municipal de Obras Públicas, destaca que a inclusão dessa e de outras igrejas e monumentos no programa da Prefeitura de Curitiba amplia estratégias de valorização do patrimônio histórico. A iniciativa visa estimular o sentimento de pertencimento, a preservação dos locais públicos, impulsionar o turismo e fortalecer as atividades comerciais no entorno desses pontos.

“Todos os belíssimos elementos do templo ficaram em evidência, reverenciando a fé e a cultura das famílias de imigrantes que construíram a cidade”, diz Rodrigues.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

By