Quem tem o aplicativo Saúde Já Curitiba instalado em seu celular já pode ter acesso a mais uma funcionalidade oferecida pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS): o resultado de exames laboratoriais realizados na rede pública na palma da mão. Para ter aceso a essa novidade, as pessoas devem atualizar o app nas lojas virtuais, sistema Android ou IOS, e ter cadastrado login e senha pelo e-cidadão.

“O app Saúde Já se tornou o principal meio de comunicação da SMS com o usuário do SUS Curitibano. Gradualmente, estamos aperfeiçoando nosso sistema e incluindo novos serviços para facilitar a vida das pessoas”, diz a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Beatriz Battistella.

Mensalmente, o Laboratório Municipal de Curitiba (LMC) realiza cerca de 650 mil exames a partir de amostras biológicas (sangue, urina, fezes e secreções). São 144 diferentes tipos de exames executados pelo LMC.

Solicitados e coletados nas Unidades de Saúde, UPAS e hospitais da SMS, anteriormente era necessário ir até o serviço de saúde para ter acesso aos resultados. Agora, basta acessar o aplicativo e clicar na aba Exames. Quem tem dificuldades com a tecnologia, continua podendo retirar os exames impressos nas unidades da SMS.

“Realizamos mais de 30 mil análises por dia, garantindo a qualidade e a rapidez dos resultados. A maioria dos exames é entregue no mesmo dia em que o material biológico é recebido pelo nosso laboratório”, diz a diretora do laboratório municipal, Tamara Cristina Matzembacher Panizza. “Assim que o resultado estiver disponível no sistema, já será automaticamente alimentado o e-saúde e liberado para o usuário no aplicativo”, explicou.

Saúde 4.1

A agilidade proporcionada por mais essa inovação facilita o acesso das pessoas a um panorama global de sua situação de saúde, que pode ser valiosa em momentos de urgência e emergência, por exemplo, sem a necessidade de ter à mão os exames impressos.

A incorporação de novas tecnologias à saúde pública curitibana é um processo de melhoria contínua. Desde a implantação do primeiro prontuário eletrônico, em 1999, até o estágio atual do Saúde Já Curitiba, muito se avançou na oferta de serviços de saúde ao alcance da mão dos usuários do SUS curitibano.

Beatriz Battistella explica que o modelo Saúde 4.1 representa as ferramentas tecnológicas da indústria 4.0, da internet das coisas, somadas ao indivíduo, ao cidadão na sua essência, representado pelo algarismo 1.  “Significa que todo conhecimento técnico e habilidade em atender pessoas está voltado para o indivíduo, que é único em suas necessidades”, diz.

O Saúde 4.1 utiliza recursos tecnológicos de alta capacidade como conectividade, inteligência artificial e base de dados, aplicados para o benefício da saúde da população curitibana e visa organizar e ampliar o cuidado aos cidadãos com humanização, afeto, respeito e empatia.

“Nosso objetivo é promover a saúde e bem-estar da população, ampliando o envolvimento dos cidadãos no seu próprio cuidado”, destaca a secretária. De acordo com Beatriz, as ferramentas de tecnologia da informação e de gestão facilitam a promoção do autocuidado apoiado pelas equipes de saúde.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

By